quarta-feira, 18 de junho de 2008

Solstício de Inverno: o Reinado da Cinzenta e o Renascimento do Sol...


Saudações castrexas!

Daqui a dois dias ocorrerá um dos momentos mais importantes do Ano: o Solstício de Inverno. O ápice do Reinado de Cailleach ( ou Galeg ), La Vieja Grisa, a Ancestral mítica dos galegos e escoceses, Deusa Anciã que rege o Inverno, o fenecimento, a parada, a morte e o congelamento. É ela que leva a seiva vital a se concentrar nas raízes, até que o Bastão de Poder volte às mãos de Briga: a Senhora do Fogo, que trará consigo a purificação e a esperança de dias mais cálidos e amenos...

O Vento do Inverno, que sopra do Norte ( no nosso caso aqui no Brasil, sopra do Sul ), cujo embate é certeiro sobre as planícies, varrendo todo o restante de Vida que ainda ali se mostra, que castiga furiosamente as aldeias e montanhas, vales e penhascos....que faz o Mar e o Céu se transmutar em uma única realidade cinzenta, que ruge imperiosa, em ventos cortantes a surrar portas e janelas....anunciando a chegada do recolhimento e da introspecção invernal, no ponto mais crítico da Vida....é o Sol que se distancia mais e mais da Terra......é o verde que desaparece debaixo da neve branca, que não pára de se acumular.....é o fim do reinado do Deus Verde e da Senhora da Vida....é o soar da trompa de caça do Caçador Negro....o sibilar do vôo da Cinzenta, cujo Vento traz consigo a neve.....é o sangue do Caçado derramado ao chão, a brilhar fortemente rubro sobre o branquíssimo gelo....é o vôo do Corvo, arauto da Senhora Badb, fazendo os ciclos se renovarem....Vida e Morte, em eterna Dança, desde Sempre e para Sempre.....

Mas, e aqui no Brasil?

Estamos num país continental....há climas de todos os tipos nessa Terra Abençoada, que acolheu um dia nossos Antepassados ibéricos, que aportaram em várias regiões, desde antes de 1500.....pois sim, esta Terra Brasilis já era visitada muito antes de Cabral....
Aqui na região Sudeste, mais especificamente onde eu moro, entre as montanhas do Vale do Paraíba, o clima tem uma regularidade muito parecida com a do clima europeu, principalmente com o clima ibérico. Talvez com temperaturas não tão intensas, mas temos sim, aqui, quatro estações bem definidas. Sendo assim, onde eu moro, é tranquilamente possível manter ritos dos Ancestrais ( claro, apenas invertendo as datas, por conta das estações trocadas de cada hemisfério ).
Por conseqüência, nessa época em que estou digitando essas linhas, é possível ver o manto cinza de Cailleach nos céus, trazendo consigo o Inverno.....o Vento cortante da Velha do Gelo, a fustigar este Novo Mundo, Vento este que, no nosso caso, sopra da Antártida.....

Mas também é o Tempo do Renascimento do Sol: É o ponto em que o Sol dá a volta pelo Céu e ressurge da aparentemente inevitável queda no Abismo da Morte....é novamente o sangue rubro a brilhar sobre o gelo, mas não o sangue do Sacrificado: é sim, o sangue derramado pela Madre Diosa, ao dar à Luz Seu Filho: O Senhor da Vida! A Criança Solar, símbolo da Esperança.....e conforme a Criança vingar, crescendo cada vez mais forte e bela, dia após dia crescerá a Luz da Vida....a seiva correrá mais veloz pelos galhos, devolvendo a estes o verde d'outrora.....o sangue correrá mais ágil e quente em nossas veias.......

E assim, renasceremos....

Bênçãos de Inverno, llenas de Esperança de um novo Nascimento!

Por: Raven Luques McMorrigú.

Um comentário:

Inês Raven disse...

Por aqui celebramos o nascimento do senhor do Sol com seu nome grego, Apollo. :)