terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Lammas: Festejando a Primeira Colheita


Slania tei!

Mais uma vez chega o tempo de festejar os frutos do trabalho: Lammas, a Festa da Colheita. Trata-se de um nome medieval que se refere ao principal símbolo da comemoração: massa, ou seja, o pão, tido como o corpo do Deus Grão Sacrificado. É um Festival que ocorre depois do auge do Verão, e assinala o declínio do Astro Rei; este espírito de fatalidade permeia as celebrações campestres, onde o feixe de trigo cortado evoca o Deus que é morto na colheita do grão, sacrificado na feitura do pão, e comungado pelo povo, em Verdadeira Eucaristia Pagã. Trata-se de Festa muito popular em todo o Mundo Antigo, e na Europa encontramos várias manifestações culturais folclóricas, que mantém vivas tão antigas tradições. Na Península Ibérica, e em Portugal em particular, há celebrações tais como a Festa da Espiga, que seguem mantendo a Chama Sagrada da Tradição. Este e outros tópicos são abordados em mais esse artigo de minha autoria: Lammas, a Festa da Colheita!



Bendiciones de Lugo, Tailtu y Dana /|\

Um comentário:

faleana disse...

Saudações, Raven! Antes de mais, muito grata pelo seu trabalho aqui no blog e pela sua dedicação aos Deuses Ibéricos, e nomeadamente, Lusitanos.
Estive a ler o seu artigo e perguntava-me, falando exclusivamente do panteão lusitano, porque não trabalhar na Festa da Primeira Colheita (Festa da Cornucópia, Lunasa, Lammas...) com Endovélico pelo seu carácter solar e com Atégina enquanto divindade associada com Prosérpina (e assim de algum modo associada com a fertilidade e renascimento da natureza)? Não há qualquer menção a estas duas divindades no seu artigo. Gostaria de saber a sua opinião! Mais uma vez muito grata, Ana